domingo, 10 de maio de 2009

«DESEJO DE TI »


Tesão. 
Sexo.
Desejo.
São palavras que me ocorrem sempre que penso em ti. 
Entras no meu pensamento sem que me dê conta,
uma ou outra vez enquanto me dedico a outra tarefas. 
Por vezes tão inóquas,
se comparadas com o que despertas em mim.
As minhas emoções fervilham,
a pele adquire o tom rosado.
O calor espalha-se pela carne e esconde-se em cada recanto. 
A gotícula de suor,
essa, desce pelo pescoço e aloja-se entre os meus seios.
Olho de soslaio a ver se ninguém se apercebe do estado em que fico
quando a tua imagem invade a minha mente. 
Num gesto que pretende passar despercebido,
o pulso roça-se
sentindo o mamilo rijo.
Se te pudesse enviar agora uma sms a contar-te, ririas.
Pior que isso. 
Pedirias que fosse rapidamente à casa de banho
para tirar uma foto e enviar-ta pelo telemóvel. 
Verias como ele anseia pelo toque da tua boca,
pelo premir dos teus dedos compridos, morenos.
Sinto a volúpia humedecer o meu sexo com a imagem dessa carícia. 
Porque imagino a mesma boca, tocando-o. 
Saboreando o néctar que te entrego desfalecida
a cada prazer trocado contigo.
Se me visses agora, se me sentisses,
sei que ficarias tão ansiosa quanto eu por um momento a dois,
nem que fosse fugaz. 
Imagino-te tão excitada quanto eu. 
Imagino-me a tocar-te. 
A fazer-te gemer com cada deslizar dos meus lábios.
Por ti. Para ti.
Mas tenho de manter este meu ar compenetrado,
como se pelo meu pensamento não passassem imagens tortuosas de nós dois,
rebolando numa cama, no chão, de pé,
ou na bancada da cozinha. 
Imagino-nos esquecidos do mundo. 
Atentos à luxúria que sai de nós.
Pego no telemóvel e digito uma mensagem:
‘Dás-me tanta tesão. Tenho vontade de ti’



5 comentários:

Princesa disse...

Meu amor
quero sentir a tua boca na minha pele,
quero encher-te de beijos...

quero sentir as tuas mãos no meu corpo,
quero descobrir todos os mistérios do teu...

quero sentir-te dentro de mim,
quero sufocar de prazer,
ao teu ritmo...
Oh! como te desejo
e quantas saudades já tenho

Princesa

REBECA disse...

Te vi de nuevo gallardo ante mis ojos,
mirarme con los tuyos, de manera.
Que pudiste captar en mi sonrojo,
que sigo siendo tuya aunque no quiera.
Yo también advertí tu nerviosismo.
y en el claro mirar de tus ojasos,
que salimos de aquel oscuro abismo,
que nos tenía al borde del fracaso.
Hoy de nuevo disfruto de tus besos,
de tu grata y ansiada compañía.
Damos gracias a Dios, por el regreso,
que nos devuelve la paz y la armonía!

Zeca Diabo disse...

museu do chulé
não dá pra acreditar

é uma inhaca só

meia fedida, tênis suado
sapato fedorento, coturno de soldado
pantufa xexelenta, chuteira chulepenta
chinelo de menino relaxado

tudo minuciosamente catalogado

pé rançoso, fedegoso, malcheiroso
pestilento, virulento, infecto contagioso
tem bodum de tudo quanto é bodoso

carpim de padre, sandália de pescador
frieira de freira, pezinho de princesa
bota catinguenta de estivador

a fedentina nunca acaba

os visitantes vão circulando
torcem o nariz, fazem caras
futum é o que não falta

pra quem não agüenta o fedor
tem prendedor

Joana. disse...

Da uva quero o sabor do vinho embriagador.
Taça negra de aroma campestre.
A visão investe no caminhar dos
Transeuntes hipnotizados pelas vitrines
Enfeitadas.
Sonhos de consumo.
Passam encantados e meu olhar já
Confuso, não obstante, leva-me a outras
Direções.
Fuga do inconsciente desejo de tê-la
Presente.
Divagando em poesias, vou criando
Formas exatas, imaginando quão perfeito
É o teu corpo.
Absorto e em total desalinho (já desfiz
O nó da gravata), vou do norte ao sul,
Feito bússola avariada.
Vã tentativa de encontrá-la.
Deste afã não vou privar-me, pois o
Vinho é a bebida predileta e ela é
Aquela que inspira os versos ao poeta.

rui manuel disse...

Romeu
o teu blog está bom mas falta o cabrão do Sergio para animar esta merda não anda aqui ninguém de jeito mas o da Joana pá está mesmo em pé de guerra eu gosto daquilo e para de chamar bobi meu corno de merda